Notícias

Mensagem do Presidente

Outubro de 2018

Mensagem do Presidente

TOS 208

Muitos dos Pilotos de Linha Aérea vivem a Profissão de forma extremamente apaixonante, levando a que a vida se desenvolva num vector quase único: a Profissão. Facilmente nos vamos desviando do sentir que nos levou a abraçar esta Profissão, que é o voar, uma certa vontade de gozarmos da (quase) mesma liberdade dos pássaros, com a movimentação em torno dos três eixos.

Nesta edição da Take Off Sirius (TOS), a escrita do Comandante Gérald Dessart (Comandante e Instrutor de Voo reformado da Emirates), que nos descreve o voo de teste que teve a oportunidade de realizar aos comandos do Sonaca 200, entrega-nos a oportunidade de regressarmos ao sonho que impulsionou muitos de nós. É um artigo fantástico, exclusivo da TOS, em que vários aspectos técnicos são revelados. Certamente a não perder.

Talvez com um oportuno regresso às raízes seja possível aos Pilotos de Linha Aérea repensarem a Profissão, pois os números de crescimento do Transporte Aéreo até 2035 continuam a aumentar. Serão precisos 600 mil novos Pilotos até 2035 (contra os 500 mil anteriormente estimados). Só a China Southern tem planos para aumentar a sua frota actual, que se cifra em cerca de 800, para 2 mil até 2035, tendo necessidade de contratar a módica quantia de aproximadamente 10 mil novos Pilotos.

Ouvimos muitos responsáveis da Indústria falarem sobre o número alucinante de novos Pilotos até ao horizonte de 2035 e a formação necessária, mas, estranhamente (ou talvez nem tanto...), os próprios Pilotos raramente têm sido ouvidos sobre este assunto. Aqui fica um aviso à navegação, pois perante este desafio, em que muitos empresários ligados à formação de Pilotos dizem que não será possível formar esta quantidade, nunca anteriormente vista, de Pilotos, mesmo recorrendo a todas as escolas existentes no mundo, o mais fácil será os não Pilotos proporem o facilitismo, cortando na quantidade e na qualidade da formação, preparando homens e mulheres, não para serem Pilotos, mas sim para serem meros operadores de sistemas.

A tecnologia, embora extremamente fiável, já nos deu vários exemplos de que os Pilotos são o primeiro e o último reduto relativamente à Segurança das aeronaves em voo, o mesmo voo que impeliu muitos de nós para esta inigualável actividade de Pilotar aeronaves, percorrendo o mundo, encurtando distâncias e aproximando as pessoas, tudo isto em Segurança.

Mais Notícias